domingo, 19 de abril de 2009

Salão de Chá V

Amigos

E esta mesa da Agostini com tantos dourados, que parece de plástico...? E ainda por cima oval, não se pode encostar a uma parede... Não sei que lhe hei-de fazer... Talvez viaje até ao quarto, pois na época, nos quartos e alcovas usavam-se muitas mesinhas de apoio, quer para tomar refeições leves e chás, ou para jogar, ou para pousar chapéus, livros, etc. E o quarto tem mais espaço para guardar uma mesa oval, do que esta pequena divisão.



Em relação ao post da Ana Anselmo, as ripas imperfeitas não são fruto do acaso. Foram propositadamente feitas assim, pois os soalhos antigos têm muitas imperfeições. Se ficasse muito certinho e rigoroso, o efeito parecia moderno e não se reportava aos ambientes oitocentistas... Assim, fiz as junções de modo a notarem-se, bem com umas "tábuas" mais altas (do qual resulta o ranger característico de quem pisa este tipo de soalho...) e de modo a ficarem com um ar mais rústico, tal como já havia feito na Sala de Jantar. Todas as imperfeições visíveis foram propositadas (tal como no rodapé de azulejos, também eram colocados de modo bastante imperfeito e não direitinho, como os os nossos actuais...)
Em casa dos meus avós havia um chão assim, de tábua corrida, em que as madeiras rangiam a cada passagem nossa, com um som e um cheiro muito característicos...

No que concerne ao post do Proença, este tapete foi um engano desde o início: na minha primeira encomenda Eurominis, troquei, sem querer, uma referência e... voilá!! Apareceu-me este tapete bem colorido, exageradamente colorido, ao qual não sei o que lhe fazer.... Por isso vou experimentando, mas neste Salão não irá ficar, pois não só não combina o padrão/cores, como as dimensões também não se coadunam com a divisão.

Em relação à ideia dos retalhos, eu cheguei a fazer uns tapetes assim, mas como os forrava para não sairem linhas, ficavam aos altos e baixos e a mobília ficava torta... Os da Eurominis têm a vantagem de serem muito baixos, embora com pouca variedade....

Quanto ao volume de mobília desta divisão: para as coisas estarem certinhas com a época, preciso de mesas de apoio (para o chá, para pousar chapéus, para flores, para os candeeiros, é importante não esquecer este pormenor, não havia ainda luz eléctrica e nem sempre se acendiam as velas dos lustres de tecto...), preciso de pelo menos mais dois lugares sentados.
Sabem que na época, os tapetes tinham sempre manchas da cera, umas mais profundas que chegavam mesmo a queimar? Quando os lustres estavam acessos muitas horas e as velas escorriam muito, até chegavam a pingar em cima das pessoas...

Voltando ao Salão de Chá (ou Salão das Porcelanas, como já o havia baptizado há uns tempos atrás...) o problema é que esta divisão é muito pequenita, tem uma porta muito grande, a lareira também tira espaço....Enfim. Hei-de ver o que vou fazer.

Uma das hipóteses era adquirir um daqueles conjuntos de três mesas de encaixar umas nas outras, muito úteis para estas divisões. Usavam-se no séc. XIX, mas não sei se nos finais do século XVIII já existiam....

Quando em repouso, somente a maior (onde as outras se encaixam) está visível. Quando são necessárias as outras, tiram-se e usam-se à medida das necessidades, com a vantagem de serem rectangulares e se poderem encostar a uma parede.

É que este palacete tem, para mim, um grave problema: não há paredes suficientes para encostar móveis de conter. A cozinha mal tem espaço para se prepararem os alimentos, a Sala de Jantar não tem sítio para se ter um móvel para se guardar a loiça de uso na dita e o Salão de Chá também sofre do mesmo problema....

Já me apeteceu retirar o par de tremós que estão no Salão de Entrada e substituí-los por um par de móveis de conter, mas também não me parece coerente que as criadas andassem "escada acima/escada abaixo" com as loiças.... Que vos parece?

Agradeço imenso os comentários e as sugestões, pois todos temos tirado partido das ideias com os outros nos presenteiam, ao comentar o nosso trabalho.

Não resisti em publicar esta fotografia, que nem sequer é uma boa fotografia, mas parece ter sido realizada num ambiente em escala normal....

2 comentários:

Ana Anselmo disse...

ah! nesta fotografia de cima o soalho está mais nítido e agora dá para perceber melhor as "imperfeições", que aqui se vê bem que estão ao acaso. Está muito natural. cinco estrelas!!
Quanto à mesa, o melhor é deixar passsar algum tempo e alguma ideia há-de surgir, para além de ter de ser transformada.... Em relação ao resto, eu pessoalmente deixava estar como está.
bjs
Ana

Ritchie disse...

eu concordo com a ana naquilo que te diz.
eu próprio só vou ter a certeza dos sitios onde ficarão as coisas no final... sinto que temos adquirido e feito coisas com tanta qualidade que mais valia termos idealizado e criado este palácio de raiz... a planeta agostini deu-nos tão pouco que se possa aprovitar, e tanta dor de cabeça, que mais valia mesmo isso. beijinhos