sábado, 15 de novembro de 2008

Sala de Jantar III


Que tipo de mobília tinham as Salas de Jantar portuguesas no último quartel do século XVIII? Um pouco de tudo: aparadores, mesas de encostar, louceiros, cantoneiras...Tudo o que servisse para guardar louça e/ou expor louça, ou servir de apoio às refeições.

Acontece que esta Sala de Jantar não tem paredes para encostar móveis!! A escada retira muito espaço, a balaústrada (que ainda não temos) não serve para encostar móveis...Que outras opções? Só uma conseguia ter algum consenso: inviabilizar uma das saídas da escada. E com o quê? A opção louceiro é demasiado grande, não há cantos para colocar uma cantoneira, os aparadores à venda são todos do século XIX...

Lembram-se da mesa de encostar D. José, numa das primeiras rubricas (Mobília Nova)? Era uma das hipóteses, pois para além de estar integrada na época em questão, não conseguia vislumbrar mais nenhuma área do palacete para a colocar.

Esta mesa era o "toucador" do quarto dito do principe...Mas para que queria uma criança um toucador de senhora? Transformei-o completamente: tirei o espelho, pintei-o de madeira e coloquei-lhe um tampo em balsa e por fim encerei-o várias vezes.
A partir das mesas "verdadeiras" fiz-lhe umas ferragens em estanho (mais uma vez obrigado Zaphia...) e pintei de dourado.

Coloquei-lhe o que habitualmente se colocava: louças e/ou pratas. Neste caso, foi um serviço de chá, com o tabuleiro e um prato coberto.
Mas e por cima da mesa? Gravuras? Resolvi colocar uma prateleira (que fiz em balsa), decorada com "porcelana chinesa" e "castiçais de prata", tudo da Eurominis. Em relação às prateleiras de apoio às salas, aconselho-vos a ver novamente a mensagem "Fontes de Inspiração I".
Também decidi pintar a porta da cozinha de branco: ficou mais à época e mais neutra.


Um plano maior e mais uma vez a ausência da balaústrada a dominar o panorama....

Nesta fotografia é que se pode apreciar bem o soalho e o seu aspecto já envelhecido, que as criadas varriam e esfregavam com esfregão de arame e depois enceravam.

As mísulas da prateleira foram adquiridas na Eurominis e pintadas de dourado.

4 comentários:

Ritchie disse...

olá amiga!

Vou deixar de ver o teu blog... é que sempre que cá venho é um misto... um misto de alegria e excitação por ver o que tens feito e depois fico amuado porque o meu não ta a ficar nada de jeito comparado com o teu.

agora, fora de brincadeiras, toma isto como um elogio e bem merecido, adoro a forma como tudo parece real. tudo tem um aspecto envelhecido e autentico... olha-se e percebe-se que tipo de vida ali existia e como era o quotidiano da vida neste palácio. estás a fazer um trabalho extraordinário.

C. Fernandes disse...

Mil obrigados pelos teus elogios.
É que correspondem ás minhas intenções: fazer um mini retrato de época. Tem, no final, objectivos pedagógicos.
Mas olha que muito do que vês foi feito, re-feito, outra vez feito (a mesa "D. José" foi mexida muitas vezes, pois voltei a fazer-lhe outro tampo, por ex.).

Em relação ao teu blog, não percebo os teus sentimentos, pois acho que está a ficar muito, muito bem.

Uma grande beijoca

Ana Anselmo disse...

Bom dia! Catarina, fiquei maravilhada com as tuas últimas obras e subscrevo totalmente as palavras do Ritchie.
bjs
Ana

rute disse...

Olá C.Fernandes
Parabens pelo seu trabalho. Como dizem nos outros comentários, o palácio está a ficar magnifico. Eu e a minha mae ,ao vermos os seus trabalhos ficamos espantadas.... são extraordinários.
Beijinhos Rute.