terça-feira, 18 de novembro de 2008

Sala de Jantar IV

Ainda na Sala de Jantar, os aros da porta de acesso ao Salão de Chá eram muito mal feitos... e pequenos para a porta. Como assim não poderiam ficar, lembrei-me de fazer, bem ao espírito da época, um reposteiro, com a respectiva galeria.

Neste caso, escolhi um tecido de decoração azul escuro com pontos em dourado e costurei os reposteiros de modo a "caírem em pregas" sem ocupar muito espaço na sala.

Fiz a galeria em madeira, apliquei tapa-poros e encerei. Depois apliquei uma pecinha de metal, um "embelhisment". Para decorar a galeria, usei o mesmo tecido e cordão dourado.


Aqui é uma perspectiva da área vísivel de quem se coloca à porta da cozinha.

8 comentários:

proença disse...

ola! como todos os outros ja disseram, acho excelente o seu trabalho de transformação e aproveitamento do palácio.

em relação a esta divisão, a sala de jantar, proponho uma hipotese: porque não esquecer a balaustrada da escada e construir uma parede em seu lugar?

C. Fernandes disse...

Olá

Obrigado pelo teu cumprimento.
Também consulto amiúde o teu blogue e acho incrível como consegues "cozinhar" pratos tão apetitosos, tão veridícos e apetitosos numa escala tão minúscula!! Parece que saíram agora do forno...et voilá!

Em relação à tua dica: já tinha pensado nisso. O único senão é que uma balaústrada deixa "ver" a mesa D. Maria que está no patamar da escadas e deixa respirar os painéis de fundo. Uma parede vai tapar ou semi-tapar isso tudo...
Claro que depois poderei "mobilar" a parede, mas essa hipótese é mesmo a última.
Se nada vier da Planeta Agostini, farei eu uma balaústrada...

Um beijinho e mais uma vez obrigado!

Ritchie disse...

olá amiga. mais uma vez gostei imenso do que vi feito. ficou com mum aspecto muito real.
O salão nobre da colectividade onde está sedeada a companhia de teatro que faço parte é um salão modesto mas com um toque de requinte e glamour de outrora. assim que vi os reposteiros e as galerias remeteram-me, imediatamente, para os da colectividade. a diferença é que os de lá são em bordeaux e estes são em azul.
excelente. estou a adorar acompanhar a evolução de tão ilustre palácio. muitos beijinhos e continuação de bom trabalho.

Biby disse...

A sala de jantar está um luxo!
Parabens.

Anónimo disse...

OLá! Adorei ver as pequenas alterações que tem feito no palácio, mas que fazem toda a diferença!!! Os painéis de azulejo estão um luxo!!!
Eu também tenho um palácio, mas está ainda na caixa porque tenho tentado decidir onde vou colocar mais uma casa de bonecas!
Quanto à Planeta Agostini, tive de fazer uma exposição à Deco que se meteram no assunto. Agora falta esperar...

A balaustrada é muito fácil de fazer!. Podes encontrar as "pernas" na Eurominis. Eu tenho algumas para fazer uma balaustrada num antiquário.

Continuação de bom trabalho!
Cecília Soares
http://www.flickr.com/photos/cilocas/sets
http://community.webshots.com/user/Cilocas65

Ana Anselmo disse...

Verifiquei que para além da galria em madeia, o cortinado tem um folho por cima e ao longo da porta, e só uma pequena parte saí por baixo da galeria. Actualmente quando se põe uma galeria não se põe mais nada, pergunto se à época se usava assim como fizeste.
Já nem digo que está lindo, que é para não me repetir.
Beijinhos
Ana

C. Fernandes disse...

Olá Ana

Agora é que me apanhaste!
Muito sinceramente, em relação à barra de tecido que apliquei na parte inferior da galeria, se era assim nos finais do século XVIII, não te sei dizer.
No séc. XIX, sim: tenho imagens onde isso aparece e em gravuras também.
Até porque, por ex: as cortinas/reposteiros de Mafra, as de Queluz, as do Palácio da Ajuda já não são as originais. Quer as traças, o pó, a luz e outros elementos, constituem factores de degradação dos tecidos e o IPPAR restaura/substitui regularmente.

Em Mafra, aquando a extinção das Ordens Religiosasm em 1834, os populares, os curiosos e os conhecedores levaram uma boa porção do seu recheio e na época, as cortinas eram coisas caras e luxuosas, portanto, com certeza que também foram na onda...

Um grande beijinho

Ana Anselmo disse...

Ctarina, obrigada pela explicação, de qualquer modo se faziam assim no séc. XIX, porque não no século anterior?...
Os pormenores de época são de facto uma coisa interessantissima, mais ainda quando não existia fotografia, temos de nos recorrer de pinturas (quadros) e gravuras.
(as coisas que eu tenho aprendido contigo :):):)
beijinhos