terça-feira, 14 de outubro de 2008

Mobília Nova II








Creio que uma boa porção dos miniaturistas portugueses adquiriram o nº 1 da Colecção "Casa de Bonecas" do Correio da Manhã. Constava de um louceiro e de um serviço de sala de jantar.

Eu não fugi à regra e também comprei, mas fiquei sem saber o que fazer com o louceiro: na sala de jantar ocupa demasiado espaço e anula uma saída das escadas. Na sala de chá também a enche demasiado e no hall colocam-se dois problemas: o louceiro é muito grande e comprometeria a simetria do hall e não faz muito sentido colocar um móvel cujo destino é guardar loiça de uso numa divisão como o hall.

Que fazer com ele? Enquanto não vem uma resposta da Agostini à reclamação (vão entregar o resto das estantes da biblioteca?), vai para a biblioteca. A divisão "biblioteca" ou "escritório" (como aparece designada nos inventários) era polivalente no que concerne ao tipo de mobília: desde as estantes para guardar os livros, aos armários de roupa (os actuais roupeiros) e por vezes até toucadores com os respectivos espelhos!! Ou seja, nos finais do século XVIII não existia ainda uma especialização para esta divisão: o uso do espaço disponível adaptava-se às necessidades dos habitantes da casa.

Fiz uns livros "antigos" (com a ajuda de www.printmini.com/printables/p1.shtml) e decorei o resto dos nichos com um conjunto de potes em porcelana adquiridos na Suécia. Mas aceito as vossas sugestões!

3 comentários:

ritchie disse...

Olá olá... olha, eu sou um dos que fogem à regra, pelo menos para já! Eu ainda não tenho o fascículo mas pedi ao Sr. Carlos do quiosque onde compro as revistas, para ver se me arranjava o número um dessa colecção. Seja como for deparei-me com a mesma situação que tu no que toca á sua colocação.
Pelas fotos que vi pareceu-me que a sua dimensão ainda era considerável.
Na sala de jantar e no hall não o queria colocar pelas razões que enumeras... estava a pensar utilizar esse louceiro no salão de chá mas se achas que fica muito cheio, e acredito pois a divisão é pequenina, já fico sem saber o que fazer se ele sempre vier parar ás minhas mãos.
Eu na biblioteca não o colocarei pois pretendo fazer, de raiz, algo semelhante ao que a planeta agostini nos impingiu.
De qualquer forma gostei muito das peças decorativas que utilizaste e os livros ficaram espectaculares. Estão com um aspecto muito perfeito. Parabéns.

C. Fernandes disse...

Olá Ritchie

Na sala de chá o louceiro ocupa a distância que vai desde o friso da janela até ao fim da parede, ou seja, ocupa a área de parede da janela para o observador. Pessoalmente, tinha outros planos para esta parede: colocar-lhe um louceiro sim, mas mais pequeno e não tão largo, com mais áreas envidraçadas para não constituir uma mancha visual tão grande.
Este louceiro fica muito bem é visto de frente, mas neste palacete é dificil. Mas também é uma questão de experimentar.

Eu não queria encher a sala de chá porque tenho planos muito concretos, como a colocação de muitas gravuras pelas paredes e porcelanas.

Em relação à biblioteca/escritório, é a divisão mais atrasada, pois aguardo resposta e ainda estou a pesquisar para a montar. A minha vontade era fazer uma mini biblioteca de Mafra, mas...

Um abraço e obrigado pelos teus comentários. Têm sido muito estimulantes!

ritchie disse...

Ai uma mini biblioteca de Mafra... adoro adoro adoro a ideia!!!
Tu és genial, adoro o rumo que estás a escolher para o teu palácio. Gostava de me ter lembrado mais cedo de certas coisas. É um deleite só de imaginar como as coisas podem ficar. Eu sou de Sintra, nascido criado e a morar (vejo o palácio da pena aqui da minha janelita do escritório) e andei nalguns monumentos a buscar inspiração para alguns pormenores para o palácio. Mas a tua área dá-te vantagem. Muitos parabéns e não tens nada que agradecer os comentários. Também me tens estimulado bastante com o que me tens escrito e com os posts que tens feito!