sábado, 25 de outubro de 2008

Salão de Entrada II


Mostro mais uma imagem do Salão de Entrada, longe de estar ainda concluído.
Tal como vinha no projecto do Palácio da Agostini, também coloquei o par espelho/consola ao fundo, num arranjo simétrico com a escada.
Esta teve de ser pintada (duas demãos) e mesmo depois de algumas adaptações, continua torta. Teve de ser aparafusada à parede de trás para ficar bem segura. Embelezei os degraus com uma imitação de tapete em papel de veludo autocolante.
Em relação ao par espelho/consola, nesta época abundavam nos lares nacionais, quer nobres, quer burgueses, o que é curioso, dada a sua pouca ou nenhuma utilidade. A divulgação deste móvel (quando unido o espelho à consola chama-se tremó) relacionou-se também com a nossa abertura às tendências internacionais no campo do mobiliário, iniciada no reinado de D. João V, prolongando-se pelo reinado de D. José e ocorrendo novamente durante o reinado de D. Maria I.
Neste caso, este par pertence, em termos estilísticos, ao reinado de D. José, pois embora também existam no reinado de D. Maria I, já não são dourados, mas em madeira e de linhas direitas.
Em resumo: neste Salão de Entrada, que se constitui como uma entrada de aparato (embora completamente esmagado pela área ocupada pelas escadas e com erros de proporções) coexistem duas grandes tendências do nosso panorama artístico:
- por um lado, a vocação nacional, bem expressa nos painéis de azulejos e também no contador.
- por outro, a internacionalização, marcada aqui pelo francesismo do par espelho/consola.
A Planeta Agostini, embora tenha entregue as duas cimalhas laterais, não entregou a de topo...
Mas, por outro lado, se a área disponível para se subir os degraus é miníma sem a cimalha, que acontecerá se ela for entregue?
Resolvi também alterar os candeeiros, pois o tecto é muito baixo e o lustre sobrepor-se-ia aos degraus. Não coloquei as colunas, pois o seu uso entre nós teve um impacto insignificante nos interiores dos palacetes e neste caso anulava a leitura do espelho/consola.

4 comentários:

Ritchie disse...

desta vez conseguimos ver melhor o aspecto da entrada do teu palácio. Mais uma vez volto a salientar o facto de gostar imenso da harmonia cromática do espaço. O dourado com o azul fica divinal e a tonalidade do chão complementa tudo muito bem. O bordeaux da escada também foi uma optima jogada pois, embora unico, liga todas as cores muito bem pois consegue condizer com todas.
Achei muito engraçado o pormenor de teres usado dois candeeiros ao invés do central. eu no meu caso irei utilizar o de centro mas sem corrente quase nenhuma pois, caso a deixasse ficar como estava, o candeeiro chegaria quase ao chão.
Ainda me sinto indeciso se coloque as colunas se não. Gosto imenso delas mas é um caso ainda em análise, por muito que goste de uma coisa, não a utilizarei caso prejudique o aspecto geral do trabalho... quanto ao aspecto geral do teu, nada mais há a dizer sem ser os parabéns. bom trabalho!

Ana Anselmo disse...

A opção de não colocar as colunas foi óptima. Gostei imenso do resultado visual da entra sem as ditas cujas. Como não faço a colecção não sei se os degraus das escadas vinham pintados de branco, gostaria de ver o aspecto se estivessem em madeira, como o soalho, para ver a diferença.
As passadeiras das escadas são seguras por uns varões que se podem fazer com tubo de latão fininho e uns terminais que podem ser feitos com uma bolinha tipo misanga, é só uma ideia...
Mais uma vez quero dizer que gosto imenso de ler o teu blog, para quem como eu gosta de história do mobiliário, é uma forma de aprender sem ter de andar à procura de livros.
Um abraço
Ana

C. Fernandes disse...

Olá Ana

Inicialmente a minha opção seria pintar as escadas de cor de madeira, mas como já vinham pintadas de branco (embora muito mal pintadas) resolvi manter. Ainda tive a ideia de fazer uns esponjeados para imitar o mármore, mas como já tinha intenção de lhes colocar o "tapete", resolvi deixar assim. Até porque a Planeta Agostini se comprometeu a entregar nova escada (por isso aparafusei esta, em vez de colar) e há dois meses eu cansei de esperar e meti mãos à obra...

Em relação às tais varetas para segurar o "tapete" da escada, o assunto não está esquecido. A minha dúvida é como são colocados os terminais que seguram o varão: é de martelar? aparafusar aos degraus?

Em relação ao "soalho" ele é de papel autocolante: é uma péssima opção, mas foi por causa da escada. O chão de madeira ia subir ainda mais a escada (em cerca de 3mm) e depois ainda encaixava pior no segundo piso...

Agora ando a pesquisar a decoração do Salão da Entrada e do reposteiro da Sala da Música (pois a ninguém foi entregue o aro da porta). O reposteiro deveria ser posto dentro da sala de música, mas vai ocupar muito espaço...

Um grande beijinho e por favor, mantenham as vossas sugestões!

Biby disse...

O hall de entrada está um espanto!
A escada com o tapete fica com melhor aspecto.
Hoje a minha mae vai ligar novamente para o Planeta a ver se já há noticias!
Beijinhos
BIBY