quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Transformação de Móveis II




A cama enviada pela Planeta Agostini está com vários defeitos: mal estofada (a seda dourada está mal esticada), os pinos de encaixe são muito frágeis e a colcha é de susto. Todos os coleccionadores se aperceberam do mesmo problema e fizeram nova colcha.

Na arca da bisavó encontrei uns restos de tecidos antigos, do século XIX e com veludo verde decidi transformar a cama entregue numa cama mais ao gosto dos finais de setecentos...

A escolha do veludo verde prende-se com o gosto nacional para a cor escura e séria (como relatam os inventários e testamentos no que concerne aos móveis estofados) e porque o contraste entre o dourado e o verde escuro fica bem.
Em meados do século XVIII, o dourado era sinónimo de luxo e bom gosto e produziu um tipo de mobiliário que encontrou adeptos na corte de D. João V.
Mais tarde, já durante o reinado de D. José, as camas portuguesas continuam a ser caracterizadas pelos recortes, pelos concheados entalhados e pés curvos, mas em madeiras nobres como o pau santo ou o pau preto.
Esta cama resulta da síntese entre o tipo de camas típicas do reinado D. José, com os seus concheados, as suas curvas e a inspiração francesa por causa do dourado, típica do gosto rocaille.

1 comentário:

ritchie disse...

Pareceu-me muito bem, gosto do aspecto final com que a cama ficou. mais uma vez parece-me coerente e correcta em termos de época. parabéns